fbpx
Card image

RolêSP Territórios Negros no Centro de São Paulo

Apresentação

O RolêSP é uma proposta de Ação Educativa que visa apresentar e aproximar os participantes do potencial cultural, social, natural e patrimonial da cidade de São Paulo, contribuindo, desse modo, para uma maior identificação dos participantes com temas socioculturais relevantes para a compreensão crítica e reflexiva de nossa realidade social, étnico-racial, econômica e cultural. Essa Ação Educativa, que consiste em Aulas On-line, via transmissão ao vivo, interativas e dialogadas, não apenas estimulam um aprendizado espontâneo e divertido, mas também contribuem para o fortalecimento dos laços de confiança e amizade entre os mesmos.

Parâmetros da Ação Educativa

Com o objetivo de proporcionar aos participantes uma compreensão crítica e reflexiva de nossa realidade social, étnico-racial, econômica e cultural, os parâmetros da Ação Educativa proposta estão organizados nos seguintes eixos estratégicos:

  • Identidade e pertencimento ao Território

Proporcionar noções de identificação e pertencimento em relação ao território;

Promover a inclusão e o acesso a mobilidade urbana, bem como a compreensão da espacialidade da cidade, suas determinações históricas, sociais, culturais e artísticas;

Estimular a apropriação social dos equipamentos urbanos, culturais e artísticos da cidade;

  • Diversidade étnico racial, de gênero e de orientação sexual

– Incluir ações afirmativas, promover a igualdade e combater a discriminação, o preconceito e a desigualdade racial no âmbito do atendimento educativo com o objetivo de erradicar as injustiças e a exclusão social;

– Promover a autoestima dos participantes, sua especificidade de gênero e étnico-racial, enfatizando a autovalorização e o auto respeito;

– Implementar ações voltadas à valorização, promovendo a participação familiar e comunitária;

  • Cultura e lazer

– Propiciar o acesso a programações culturais, teatro, literatura, dança, música, artes, constituindo espaços de oportunização da vivência de diferentes atividades culturais e artísticas, e também de favorecimento à qualificação artística, respeitando as aptidões dos participantes;

– Propiciar o acesso dos discentes a atividades de lazer como instrumento de inclusão social, sendo as atividades escolhidas com a participação destes e respeitados o seu interesse;

– Assegurar no atendimento educativo espaço a diferentes manifestações culturais dos participantes;

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Mapa_1810_SP_DPH_Rolê-Negros_2-1024x785.png

A partir de uma ampla pesquisa histórica – iconográfica, oral, documental e bibliográfica – buscamos reconstituir as particularidades mais determinantes da Cultura Negra no território central de São Paulo, assim como os levantes de lutas e resistências contra as tentativas de apagamentos dessa História Social.

Professores

DANIELLE FRANCO DA ROCHA
Doutora em História Social pela PUC-SP, Mestre em Ciências Sociais e Bacharel em Ciências Econômicas pela PUC-SP. Professora e Pesquisadora do Instituto Bixiga. Professora de História e Educação Patrimonial nas Licenciaturas de História, Letras e Pedagogia. Professora do Curso de Especialização em História, Sociedade e Cultura da PUC-SP. Tem experiência nas áreas de História, Educação, Economia, Sociologia, e Serviço Social. Atuando nos seguintes temas: História Social da Cidade, Educação Patrimonial, História Brasileira e Latino Americana. Pesquisadora do Centro de Estudos de História da America Latina (CEHAL) ambos do Programa de Estudos Pós-Graduados em História Social da PUC-SP.

EDIMILSOM PERES CASTILHO
Doutor e Mestre em História Social pela PUC-SP. Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Uberlândia. Professor e Pesquisador do Instituto Bixiga. Professor de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Ibirapuera UNIB. Professor do Curso de Especialização em História, Sociedade e Cultura da PUC-SP e do Curso de Especialização em Arquitetura e Urbanismo do SENAC-SP. Tem experiência nas áreas de História Social da Cidade, Arquitetura e Urbanismo, Arquitetura da Paisagem. Atuando nos seguintes temas: História e Cidade, Educação Patrimonial, História da Arquitetura e Urbanismo, Mapeamento e Informação em Cidade, Planejamento Territorial. Pesquisador do Núcleo de Estudos de História Social da Cidade (NEHSC) e do Centro de Estudos de História Latino-Americana (CEHAL) ambos do Programa de Estudos Pós-Graduados em História PUC-SP.

ERIBELTO PERES CASTILHO
Doutor e Mestre em História Social pela PUC-SP. Bacharel em Direito pela PUC-SP. Bacharel e Licenciado em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Professor e Pesquisador do Instituto Bixiga. Professor adjunto IV do Curso de Direito da Faculdade Zumbi dos Palmares (FAZP). Professor do Curso de Especialização em História, Sociedade e Cultura da PUC-SP. Tem experiência nas áreas de História, Economia, Direito, Ciência Política, Serviço Social, atuando nos seguintes temas: História e Economia Brasileira e Latino Americana, Direito, Sociologia, Serviço Social. Pesquisador do Centro de Estudos de História Latino-Americana (CEHAL) e do Núcleo de Estudos de História Social da Cidade (NEHSC), todos ligados ao Programa de Estudos Pós-Graduados em História da PUC-SP.

Descrição da Ação Formativa

  • Curso Online: os encontros são realizados por meio de plataforma de videoconferência que permite aos educadores e pesquisadores do Instituto Bixiga ministrarem o conteúdo proposto remotamente, em tempo real, interagindo diretamente com a equipe técnica por vídeo, áudio e bate-papo.
  • Acesso dos participantes da Ação Formativa, mediante cadastro, ao Curso EAD hospedado em plataforma de aprendizagem virtual (e-learning/LearnDash) do site do Instituto Bixiga www.institutobixiga.com.br.
  • Compartilhamento digital do Material de Apoio/Complementar.
  • Lista de Filmes que guardem relação com a Ação Formativa.
  • Certificação de participação a todos os integrantes da Ação Formação.

Consulte nossos Planos Especiais para Grupos (11) 99388-3825

* A proposta de Ação Formativa segue os parâmetros determinados pela PORTARIA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO – SME Nº 8.804 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2019

**O Valor/hora trabalhado (Palestra) segue a parâmetro determinado pelo COMUNICADO SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO – SME Nº 222 DE 27 DE FEVEREIRO DE 2009.

*** A Ação Formativa inclui 2 horas aula com os alunos e horas atividade de elaboração e planeamento.

Trajetos Históricos

Partindo do Largo da Forca, região localizada “ao sul da Sé” e atualmente denominada Praça Liberdade-Japão (saída da Estação de Metro Liberdade-Japão), vamos conhecer a história da Igreja Santa Cruz das Almas com sua Capela das Velas que está intimamente ligada aos enforcamentos ocorridos no adro desta igreja nos séculos 18 e 19.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Praça-metrõ-liberdade-2-1024x718.png
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Capela-Velas-1-1024x683.jpg

Abaixo do Largo da Forca, contornando a Rua da Glória que era o prolongamento da antiga Estrada para Santos, vamos descobrir onde foi o local do primeiro cemitério público da vila colonial através da presença da Igreja Nossa Senhora dos Aflitos pertencente ao antigo cemitério, atualmente local de muita fé e devoção à Chaguinhas, mártir negro executado na forca em 1821 e eternizado no samba Rua da Glória do cantor e compositor Aloysio Letra.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Aflitos.jpg

Ainda na Rua da Glória, vamos descrever onde foi construído o primeiro hospital da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo que abrigou a “Roda dos Enjeitados” para receber crianças abandonadas na cidade imperial.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Santa-casa_Asylo_1910_DPH_1.jpg

Ao final da Rua da Glória vamos conhecer o famigerado Largo do Pelourinho onde eram açoitados negros escravizados até fins do século 19, quando foi remodelado e renomeado de Largo Sete de Setembro em 1916.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é largo-7-de-setembro_sd_glória.jpg

Nesse local também vamos destacar a história da Igreja dos Remédio situada ao lado do Pelourinho, sede do importante movimento abolicionista popular dos Caifases e que foi demolida na década de 1940 para construção do Fórum João Mendes Junior.

Na sequencia vamos apresentar a história do grandioso Campos de São Gonçalo, local das Tiriricas e Rodas de Batuque do Samba e onde se encontra a Irmandade de N. S. da Conceição e São Gonçalo Garcia, importante marco da contribuição do famoso Arquiteto Tebas, negro escravizado que realizou obras fundamentais da São Paulo colonial.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é são-gonçalo-1024x768.jpg

Com a construção da Casa de Câmara e Cadeia no século 18 o largo foi renomeado como Largo Municipal, até que em 1898 foi denominada Praça Dr. João Mendes.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Cadeia-pública_Largo-São-Francisco_1862_.jpg
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Câmara_1880_MCSP.jpg

Vamos conhecer ainda a história de praças e largos ao redor da Igreja da Sé que abrigavam diversos chafarizes, local de encontro de lavadeiras, quituteiras, vendedores de ervas entre outros, como o Largo da Misericórdia que abrigou o importante chafariz construídos por Tebas e a antiga igreja da Irmandade da Santa Casa até ser demolida em 1888.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Largo-Misericórdia-1024x768.jpg

Nosso RolêSP termina no Largo do Piques onde eram comercializados os escravizados em São Paulo e também local de muitas Lutas e Resistências.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é tebas-Fonte-Piques_1862_DPH.jpg
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Fonte-Piques_1862_DPH.jpg

Situado nas mediações do Terminal e Praça da Bandeira, no Largo do Piques também existia um importante chafariz de abastecimento da cidade e foi o local escolhido para erguer o Obelisco do Piques “à memória do zelo do bem público” que é considerado o primeiro monumento de São Paulo inaugurado em 1814.

Entre em contato pelo WhatsApp