Infância, Juventude e Trabalho: As Resistências ao Disciplinamento do Trabalho Infanto-juvenil no Brasil

O curso visa possibilitar aos participantes uma compreensão crítica do tratamento autocrático dispensado pela Ditadura Militar (1964-1985) à Infância e Juventude Brasileira.

Curso On-line Gratuito.

Data: 15/10, sexta-feira, das 19h às 21h.

Professores: Danielle Franco da Rocha, Edimilsom Peres Castilho, Eribelto Peres Castilho

“Não encarando o avanço progressivo do subemprego, do pauperismo e da fome como consequência necessária de sua nefasta plataforma econômica, a Ditadura Militar Brasileira passou a ‘ver’ a ampla miséria social como culpa dos próprios miseráveis, defendendo que, como tal, deveria ser punida. Um exemplo desse sórdido procedimento, adotado pela autocracia burguesa brasileira, pode ser encontrado no primeiro ano do governo de João Baptista de Oliveira Figueiredo, último dos generais-presidentes. “Pressupondo” que o “pauperismo seria a miséria infligida a si mesmo pelo trabalhador”, o governo e o Parlamento, seu servo, decretaram que a miséria não deveria ser mais encarada como um infortúnio, como até então fizera os programas de beneficência, mas sim reprimido e punido como crime. Foi assim que surgiu a Lei nº 6.697, de 10 de outubro de 1979, que dispunha sobre a ‘Assistência, Proteção e Vigilância aos menores’, e que ficara conhecida como Código de Menores de 1979”.

Eribelto Peres Castilho. A Classe Trabalhadora In Movimento – Um Retrato das Lutas dos Trabalhadores no Jornal Movimento (1975-1981)

Apresentação

Em outubro, mês em que tradicionalmente a sociedade brasileira celebra a Infância e Juventude, o Instituto Bixiga em parceria com o Memorial da Resistência de São Paulo oferecem o curso “Infância, Juventude e Trabalho: As Resistências ao Disciplinamento do Trabalho Infanto-juvenil no Brasil”, cujo propósito consiste em apresentar e problematizar criticamente os aspectos sociais, jurídicos e culturais do tratamento dispensado à infância e juventude brasileira pela Ditadura Militar no Brasil (1964-1985), período marcado pela consolidação de um maior controle estatal da vida das crianças, jovens e famílias das classes trabalhadoras, e pela transformação da denominada “questão do menor” em alvo frequente de intervenções arbitrárias do Estado pautadas na Doutrina de Segurança Nacional e na Doutrina da Situação Irregular.

Professores

Prof.ª Dra. Danielle Franco da Rocha
Doutora em História Social pela PUC-SP, Mestre em Ciências Sociais e Bacharel em Ciências Econômicas pela PUC-SP. Professora e Pesquisadora do Instituto Bixiga. Professora de História e Educação Patrimonial nas Licenciaturas de História, Letras e Pedagogia. Professora do Curso de Especialização em História, Sociedade e Cultura da PUC-SP. Tem experiência nas áreas de História, Educação, Economia, Sociologia, e Serviço Social. Atuando nos seguintes temas: História Social da Cidade, Educação Patrimonial, História Brasileira e Latino Americana. Pesquisadora do Centro de Estudos de História da America Latina (CEHAL) ambos do Programa de Estudos Pós-Graduados em História Social da PUC-SP.

Prof.º Dr. Edimilsom Peres Castilho
Doutor e Mestre em História Social pela PUC-SP. Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Uberlândia. Professor e Pesquisador do Instituto Bixiga. Professor de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Ibirapuera UNIB. Professor do Curso de Especialização em História, Sociedade e Cultura da PUC-SP e do Curso de Especialização em Arquitetura e Urbanismo do SENAC-SP. Tem experiência nas áreas de História Social da Cidade, Arquitetura e Urbanismo, Arquitetura da Paisagem. Atuando nos seguintes temas: História e Cidade, Educação Patrimonial, História da Arquitetura e Urbanismo, Mapeamento e Informação em Cidade, Planejamento Territorial. Pesquisador do Núcleo de Estudos de História Social da Cidade (NEHSC) e do Centro de Estudos de História Latino-Americana (CEHAL) ambos do Programa de Estudos Pós-Graduados em História PUC-SP.

Prof.º Dr. Eribelto Peres Castilho
Doutor e Mestre em História Social pela PUC-SP. Bacharel em Direito pela PUC-SP. Bacharel e Licenciado em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Professor e Pesquisador do Instituto Bixiga. Professor adjunto IV do Curso de Direito da Faculdade Zumbi dos Palmares (FAZP). Professor do Curso de Especialização em História, Sociedade e Cultura da PUC-SP. Tem experiência nas áreas de História, Economia, Direito, Ciência Política, Serviço Social, atuando nos seguintes temas: História e Economia Brasileira e Latino Americana, Direito, Sociologia, Serviço Social. Pesquisador do Centro de Estudos de História Latino-Americana (CEHAL) e do Núcleo de Estudos de História Social da Cidade (NEHSC), todos ligados ao Programa de Estudos Pós-Graduados em História da PUC-SP.

AULA GRAVADA

Carga Horária
02 horas/aula
Aos participantes serão conferidos certificados que podem ser aproveitados para as Atividades Complementares exigidas pelas Diretrizes Curriculares Nacionais.

*Ao se inscrever no curso o participante autoriza o INSTITUTO BIXIGA – PESQUISA, FORMAÇÃO E CULTURA POPULAR a utilizar suas imagens produzidas no âmbito do curso (fotografias e filmagens), para utilização em materiais de divulgação e publicações do instituto ou conforme outras necessidades dessa instituição, sem qualquer ônus material ou imaterial, por tempo indeterminado.

+85 matriculado
Não matriculado

Curso Inclui

  • 1 Aula
  • Curso Certificate
Open chat
Entre em contato pelo WhatsApp