Guaianases Bem na Foto: Um Resgate da História e Memória na Biblioteca Cora Coralina

Autoria: Danielle Franco da Rocha, Edimilsom Peres Castilho, Eribelto Peres Castilho.

Quer saber mais sobre a História da Zona Leste de São Paulo, confira o curso on-line aqui

“Nas terras da família Bueno, onde hoje se situa o antigo Cemitério Lajeado, iniciou-se a edificação, a pedido do proprietário Manuel Joaquim Alves Bueno, de uma capelinha. Com o fim da construção é então celebrada, em 03 de maio de 1861, dia de Santa Cruz, a primeira missa pelo vigário de Arujá, Padre João Cardoso Mendes de Souza que, também nessa mesma ocasião, promove a benção do que viria a ser a conhecida como Capela de Santa Cruz do Lajedo.” (CASTILHO, Edimilsom Peres)

Antigo Cemitério de Guaianases, 2007.

Para contribuir com a Programação Especial de Aniversário de Guaianases, comemorado a partir da primeira missa do bairro em 1861, o Instituto Bixiga divulga a Exposição Fotográfica A praça “bem na foto”, realizada em parceria com a Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, com a contribuição fundamental e imprescindível de muitos moradores, associações comunitárias e profissionais dedicados da rede publica de cultura, educação, saúde e assistência social.

Localizado numa região denominada Baixada das Bananeiras pelos primeiros habitantes indígenas Guaianás, esse pequeno povoado que serviu de pouso de tropeiros na São Paulo Colonial já contava em 1802 com um pequeno casario e vendas, rodeado por chácaras de produção agrícola.

Com a chegada da ferrovia em 1875, a região recebeu diversas famílias de imigrantes estrangeiros e na década de 1950 passou a apresentar um crescimento urbano expressivo com a chegada de migrantes inter-regionais de todo o Brasil. Desde então, Guaianases e Lajeado tornaram-se prioritariamente local de moradia da classe trabalhadora paulistana, mas também de muitas lutas e resistências populares.

Lajeado/Guaianases, 1919 (Folha de Guaianases)

Em 2006, o Instituto Bixiga propôs um projeto de resgate da História Social e da Memória de Guaianases por meio de suas Praças, que resultou em uma pesquisa denominada “Praça Bem na Foto”, conjugada por uma Exposição Fotográfica e cursos de formação na rede pública de Guaianases na Biblioteca Municipal Cora Coralina, financiada pela Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo.

Biblioteca Infantil de Guaianases, 1966 (Museu Cidade SP)

Além da Exposição Fotográfica A Praça Bem na Foto que resultou de uma extensa pesquisa histórica com moradores de Guaianases, pesquisadores, associações comunitárias, funcionários públicos e entidades privadas, com destaque para a Empresa Jornalística Folha de Guaianases, o projeto ofereceu cursos de formação para crianças e adolescentes da EMEF Vinte e Cinco de Janeiro.

Agradecemos encarecidamente todas as pessoas que colaboraram com esse projeto, e especial a participação de Jorge Teixeira pela disponibilidade do valioso acervo particular, Afonso Camelô – ex-presidente do Sindicato dos Camelôs Independentes de São Paulo que nos deixou em 2012, e Suely, mãe guerreira, trabalhadora e moradora de uma ocupação em antiga pedreira desativa na Vila Rosa.

Quer saber mais sobre a História da Zona Leste de São Paulo, confira o curso on-line aqui

Artigos relacionados

Open chat
Entre em contato pelo WhatsApp